Homenagem

Ao que fica quieto no fundo da classe, que nunca levantou a mão para fazer perguntas. Ao que fica no canto do sofá no jantar de família, sem responder nem participar das discussões iluminadas. Ao que aparece no canto das fotos, normalmente cortado pela metade ou atrás do amigo alto.

Homenagem àquele que não é marcado nas fotos de grupo no Facebook, que na verdade nem possui álbum de fotos ou múltiplas selfies no perfil. Que não posta nada nas redes sociais, exceto comentários isolados em discussões áridas de páginas vergonhosas. Ao anti-Snapchat, anti-Instalive, Instaphoto, Instaselfie.

Está tudo bem em não existir no âmbito da extrema-pseudoexistência. Existe um exército de pessoas que nem você. Pessoas que não possuem grupos de discussão no Whatsapp. Pessoas que não marcam eventos, não se interessam por nada em específico, que não se julgam aptas a fazer textão sobre o que quer que seja. Seria a maioria silenciosa? Não tem como saber.

Isso não impede a homenagem. Sei que esse tipo existe. De vez em quando ele se deixa levar pela onda, nunca por muito tempo. Logo ele se recolhe novamente para onde se sente melhor, no doce aconchego do anonimato.

Meus aplausos! Hoje é o dia perfeito para homenageá-los.

One thought on “Homenagem

  1. Claudia Braga says:

    Aos poucos, quando vamos envelhecendo ficamos um pouco assim. O anonimato também é notado nos profissionais da limpeza, nos caixas de supermercado, nos garçons e garçonetes que nos abordam em uma festa, nas pessoas que esperam o ônibus. Mas são pessoas-felinos com visão noturna, passos macios e ronronar de existir. Jamais os subestime. A vida é uma ilusão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *