Estudantes da UoPeople: Greyce Riquinho

Foto de Greyce Riquinho no escritório da door2door em Berlim, Alemanha.
Greyce Riquinho, estudante da University of the People e programadora na door2door

O interesse por uma universidade ou curso normalmente envolve algumas questões previsíveis: O curso é difícil? Quanto tempo leva para se formar? Tem diploma no final? Quais são as matérias mais difíceis? Ele é reconhecido no Brasil?

Todas são perguntas válidas, porém acredito que elas focam em questões que não tocam no que deveria ser central em tudo o que envolve educação: o que os alunos fazem durante e depois do curso? Existem projetos multidisciplinares? Existe uma empresa júnior? Os alunos são engajados em alguma causa?

Para mim, educação deve gerar, na maioria das vezes (nem sempre, portanto), um produto prático. Educação deve falar com a população, deve desenvolver algo com a sociedade, deve empoderar o indivíduo e a comunidade em seu entorno.

É por isso que histórias como a da Greyce Riquinho, colega na UoPeople, merecem destaque. Histórias que revelam o impacto prático do poder da educação, especialmente quando a educação é flexível e acessível. Sua história está disponível em detalhes no blog oficial da empresa em que trabalha, door2door. É uma história inspiradora, e que revela o poder da educação em conjunto com a determinação de se reinventar. Sem dúvida é do interesse de todas e todos que se interessam em estudar, mas têm dúvidas se existe algum resultado “real” depois de tanto esforço. É claro que a universidade não é individualmente responsável pelo sucesso da Greyce. A história dela é o resultado de inúmeras variáveis, algumas que só ela sabe quais são. Mas não deixa de ser um exemplo de sucesso, e um exemplo de que temos colegas engajadas em projetos e empregos incríveis em todos os cantos do mundo.