English Composition 1 na UoPeople

Uma breve introdução

Esta é a primeira postagem do projeto de resumo de cursos que prometi a mim mesmo que faria antes de 2017 terminar. Como dá para perceber estou simbolicamente garantindo o cumprimento da promessa postando literalmente no último dia do ano.

O objetivo é fazer um resumo de cada curso que já fiz na University of the People. A ideia é tirar as dúvidas básicas de quem está começando e/ou decidindo quais cursos escolher para o próximo período. Acompanho bastante vários grupos de estudantes (Facebook, Whatsapp, Yammer, Slack) e é comum ver as mesmas perguntas sendo repetidas ad infinitum, cenário perfeito para montar um guia informal e ajudar os novos alunos a navegar na universidade. Reconheço que o ensino online / à distância não é muito “natural”. A maioria de nós teve uma base educacional tradicional, sem ênfase na proatividade. Estudar na UoPeople muitas vezes exige exatamente o oposto do que é esperado em instituições educacionais tradicionais.

Pretendo seguir um formato bem simples nessas postagens, quase um bate-papo. Provavelmente o formato será adaptado dependendo do curso. Já adianto que não vou compartilhar exercícios ou detalhes de cada unidade. O ponto é passar uma ideia geral do que o curso aborda, dicas para entrar no curso preparado e desmistificar tópicos que geram ansiedade injustificada. Então vamos lá!

 

1-) O que é English Composition 1?

Você chegou a fazer aula de redação? Então. É mais ou menos a mesma coisa, só que em inglês. O dicionário define composition como “trabalho criativo, especialmente um poema ou peça de música”. Pois bem, no contexto da UoPeople o foco é no desenvolvimento da linguagem, leitura e escrita. É o curso base da universidade para todos os alunos que não comprovaram proficiência na língua inglesa no momento da admissão. Os detalhes sobre como comprovar o conhecimento da língua estão disponíveis no catálogo da Universidade, é só pesquisar “UoPeople Catalog” no Google.

Como estamos falando de uma universidade, o foco do curso é na escrita e leitura acadêmica. É importante ter isso em mente! Esse curso não possui um livro principal e sim vários materiais menores, geralmente em PDF, adaptados para o contexto da UoPeople. Ele também usa alguns textos e artigos espalhados pela internet afora.

 

2-) Como é esse negócio de inglês acadêmico?

No final das contas é mais simples do que parece, mas vou ser honesto logo de cara: se o seu inglês é básico não vai rolar. Se é “intermediário” você vai ter dificuldade. O curso assume que os conhecimentos de gramática do aluno já estejam relativamente consolidados e é só necessário dar uma polida. O material inicialmente foca na estrutura da língua inglesa e na eliminação de vícios textuais. Por isso fiz acima o paralelo com as aulas de redação em português. A abordagem é mais ou menos equivalente.

A primeira dica que deixo aqui não segui pessoalmente, mas muitos alunos recomendam como preparo o curso de English Composition I da Duke University, no Coursera. Batendo o olho nos objetivos e na agenda posso confirmar que a estrutura é bem parecida com a da UoPeople.

 

3-) Então é só sobre escrever melhor?

Não! O curso também aborda as etapas básicas que constituem o processo de escrever um texto acadêmico. Isso envolve métodos para anotar sobre tudo o que você utiliza como referência; como delinear um parágrafo; ler de forma crítica e selecionar fontes confiáveis. Ele também fala bastante sobre formas de apresentar suas ideias e, principalmente, como citar tudo o que você leu para escrever o texto (a.k.a. citação e referência).

O “tudo” em negrito não faz jus nem de longe sobre a importância deste item, portanto vou fazer um tópico só para ele abaixo.

 

4-) Qual é essa história de citar e colocar referência em tudo?

Quem já fez trabalho acadêmico e iniciação científica provavelmente lembra com muito carinho das famosas regras de formatação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Se não sabe o que é, dá um Google. Pois é, a UoPeople combate AGRESSIVAMENTE plagiarismo por parte dos alunos. Em bom português de raiz, copy-paste da internet. Um dos elementos para garantir que nada está sendo copiado é citar tudo, seja de forma literal ou parafraseada. Você vai aprender tudo exaustivamente durante o English Composition 1 e 2.

 

5-) Como faz para ser aprovado no curso?

Talvez esta seja a pergunta mais comum. Sinceramente está bem explicado no programa de estudos, mas vale esclarecer em português (tradução livre):

“Os estudantes devem atingir 73% ou mais no curso para atender o requisito de proficiência em inglês na UoPeople”.

Mas não é só isso e talvez por isso fique confuso para algumas pessoas:

“Uma vez que a proficiência na língua inglesa é uma habilidade essencial para o sucesso na UoPeople, os estudantes devem atingir uma pontuação mínima de 60 no exame final”.

Isso significa que mesmo que você tire 10 em tudo ao longo do curso, caso sua prova seja um desastre, já era. O exame final tem em si tem um peso de apenas 25% na composição geral da nota, porém a barreira dos 60 pontos é extremamente importante! Se esforce ao máximo até o último minuto do exame final.

 

6-) E como é esse exame final?

English Composition 1 tem um aspecto relativamente único (pelo menos até agora, de acordo com a minha experiência em outros cursos). O exame final é um teste genérico de inglês que não tem uma relação direta com os tópicos abordados durante o curso. Isso pega alguns estudantes de surpresa.

A intenção aqui não é assustar. O exame não é difícil para quem já tem um pouco de familiaridade com a língua. O que assusta é o contexto do exame, com todas as novidades da universidade e o requerimento de um proctor para acompanhar a prova. Tudo isso deixa alguns alunos ansiosos e por isso vale ir bem preparado, sabendo mais ou menos o que irá enfrentar.

 

7-) O curso é difícil?

Deixei essa para o final porque considero uma pergunta relativa. Difícil em qual contexto? Qual é o seu contexto ao fazer esta pergunta?

O contexto da minha resposta é que fiz English Composition 1 tendo uma boa base do inglês e dos conceitos que envolvem a produção de um texto acadêmico. Mesmo assim não conhecia as regras da APA, por exemplo. Para quem já teve que seguir as regras da ABNT é moleza, principalmente porque existe bem mais ferramentas disponíveis para te auxiliar com a formatação APA na internet.

Consegui levar o curso investindo cerca de quatro ou cinco horas por semana, no máximo. É pouco e mais para frente tem cursos muito mais exigentes (15-20 horas de estudo por semana). Ainda assim é um curso desafiador. Muitos alunos não têm familiaridade com textos longos nem em português, que dirá em inglês. Mesmo assim a maioria se acostuma rápido e pega o ritmo logo nas primeiras semanas.

Ele é um ótimo curso para se familiarizar com a dinâmica de estudos da UoPeople. Também te coloca em contato com textos literários (curtos) de alto nível de autores consagrados, como Anton Chekov, Jack London e Oscar Wilde. Independente de ter escolhido Computer Science, Business Administration ou Health Sciences, a universidade procura demonstrar com esse curso que a linguagem é base essencial para a construção do conhecimento.

 

Conclusão

Essa foi a primeira postagem da série. Reconheço que deixei alguns tópicos importantes de lado, mas não quis desviar muito o foco. Só a questão do proctor dá um post, por exemplo. A dinâmica dos fóruns de discussão, os exercícios de escrita e as avaliações entre os alunos (peer assessment) também. Aos poucos vou escrever sobre tudo isso. Caso tenha alguma solicitação especial é só comentar e pedir! Críticas e sugestões são sempre bem-vindas.

Aproveito mais uma vez para compartilhar o link do grupo no Facebook. Ele está aberto para todos os estudantes e interessados na universidade. Entre e participe!

 

Por hoje é só.